Com anúncio de 16,5 milhões começa o ano do cinema mineiro

Evento que marca a abertura do calendário nacional de cinema tem anúncio de edital e emocionante homenagem


Por Rafael Mendonça

21ª MOSTRA TIRADENTES – Abertura Oficial – Homenagem Babu – Foto Beto Staino/Universo Produção

A abertura da 21ª Mostra de Cinema de Tiradentes marcou o início do calendário audiovisual brasileiro apresentando sua temática central, Chamado Realista, e trouxe uma notícia que, se já era conhecida pelo meio, veio com um montante que deixou os presentes animados: o anúncio de R$16,5 milhões para financiamento de curtas, documentários e longas foi a introdução que culminou na bela e emocionante homenagem a Babu Santana. Ator carioca que terá seus filmes exibidos em Tiradentes.

Conforme antecipado por O Beltrano momentos antes do anúncio oficial (https://twitter.com/jornalobeltrano/status/954494113373720577) os R$16,5 milhões foram confirmados pelo presidente da Codemig Marco Antônio Castelo Branco e contemplarão ao menos 12 produções. O edital, que é uma parceria da Ancine, FSA e Secretaria do Estado da Cultura deve estar à disposição dos interessados a partir do dia 24 de janeiro, junto com as inscrições que vão até 3 de abril.

“Para o setor de audiovisual não tem tido crise, o governo Pimentel tem dado todo o apoio e temos conseguido fomentar atividades nas mais diversas modalidades do audiovisual e um exemplo é o estado presente aqui na 21ª Mostra de Tiradentes. Em Minas Gerais, conseguimos incluir o estado na captação de recursos do governo federal, éramos esquecidos e desde 2015 nós começamos. O ápice vai ser em 2018 com o anúncio de daqui a pouco.”, afirmou Castelo Branco, ao O Beltrano, pouco antes de anunciar o lançamento do edital.

MARCO ANTÔNIO CASTELLO BRANCO, PRESIDENTE DA CODEMIG, EMPRESA PARCEIRA DO PROGRAMA CINEMA SEM FRONTEIRAS. Foto Léo Lara/ Universo Produção

Algumas novidades em relação a editais anteriores, conforme disse Marco Antônio, é a inclusão das categorias de curta-metragem e de arranjos produtivos locais (dedicada a trabalhos realizados em Minas Gerais); e o desmembramento da categoria de longa-metragem em Ficção I e Ficção II.

Chegar em Tiradentes para a Mostra é sempre uma experiência, correr ao lado da Serra de São José e suas pedras te remetem ao passado e às belezas da região. Mas é ao desembarcar na grande e portentosa estrutura armada pela produção da Mostra que a gente se sente realmente emocionado.

Com a homenagem deste ano ao ator Babu Santana (https://www.badernanoticias.com/portfolio/babu-santana-longe-dos-estereotipos/), o movimento negro e a participação do negro no cinema está em foco em vários seminários e filmes.

Acompanhado de familiares e amigos, Babu subiu ao palco, recebeu o Troféu Barroco e brincou: “Queria ter preparado discurso, mas alguns diretores sabem que eu não decoro texto.”, o que arrancou risos da plateia. Em seguida, o ator enumerou, uma a uma, as pessoas mais importantes de sua vida e que o ajudaram a trilhar o caminho desde a juventude no grupo Nós do Morro até o sucesso no cinema, na televisão e no teatro. “Numa homenagem assim, o que a gente mais tem a falar é agradecer.”.

Durante a abertura foi organizada uma emocionante homenagem com o ator e familiares, levando o cine-tenda aos prantos pela sinceridade das lágrimas de Babu e seu pai em um forte abraço. Quase cinco minutos de palmas em pé embalaram o gesto.

Abertura Oficial – Homenagem Babu – Foto Beto Staino/Universo Produção

PROGRAMAÇÃO

Além da exibição de filmes, a Mostra de Cinema de Tiradentes conta, ainda, com a realização de cortejo, shows, lançamento de livros e DVDs, debates e diversas outras atividades culturais voltadas para públicos de todas as idades. Toda a programação é gratuita.

No sábado, o debate “Chamado realista”, com a participação dos curadores Camila Vieira, Cleber Eduardo, Francis Vogner dos Reis, Lila Foster e Pedro Maciel, reverbera a temática desta edição, a partir das 10h30, no Centro Cultural SESIMINAS Yves Alves. Às 12h, começa o debate “O ator e seu meio: filmar em estúdio, filmar no Recôncavo Baiano e filmar no Morro do Vidigal: o percurso de Babu Santana”, que recria a trajetória do homenageado desta edição. Grenda Nicácio e Ary Rosa, diretores do filme de abertura, “Café com Canela”, protagonizam o debate das 15h30.

Pela manhã, às 11h, a criançada vai conferir uma exibição especial de Historietas Assombradas – O Filme. Abrindo a programação da Mostrinha de Cinema, a sessão conta com acessibilidade (audiodescrição, legenda descritiva e intérprete de Libras) e bate papo após o filme. Na parte da tarde, o Cortejo da Arte, um dos momentos mais tradicionais da Mostra de Cinema de Tiradentes, tem início às 16h30. O passeio musical, que reúne grupos tradicionais da cidade, celebra os 300 anos de fundação da cidade.

A programação de filmes no sábado inclui as exibições de “Tim Maia”, no Cine-Tenda, às 14h30; e “Uma onda no ar”, às 15h30, no Cine-Teatro Sesi – ambos compõem a Mostra Homenagem.

A sessão de curtas começa às 17h, com a Mostra Foco Minas. Já a Mostra Panorama começa às 18h15, no mesmo local. A Mostra Chamado Realista conta com a exibição de “Arábia”, de Affonso Uchôa e João Dumans, às 20h, e “Era uma vez Brasília”, de Adirley Querós, às 22h. Todas as sessões acontecem no Cine-Tenda. A estreia do Cine BNDES na Praça acontece com o longa “Escolas em Luta”, com debate com os diretores e convidados após a exibição, às 21h. A noite se encerra com show do “Cabezas Flutuantes”, às 24h, no Sesc Cine-Lounge.

No domingo, os debates começam às 10h30. O primeiro reúne os diretores de “Arábia”, no Cine-Teatro Sesi. Na sequência vem o bate-papo sobre “Era uma vez Brasília”, às 11h45. Na parte da tarde, às 15h30, o tema será “Chamado realista: o corpo e a fala realista nas interpretações”, com as atrizes Aline Brune, Patrícia Saravy e com o diretor e roteirista René Guerra. O local recebe, ainda, o lançamento de livros e DVDs.

A exibição de filmes começa às 11h, com a Mostrinha, que traz o longa DPA – Detetives do Prédio Azul – O Filme, segue com a exibição de curtas da Mostra Cena Regional, às 15h; e com os filmes da mostra Foco Minas, às 17h e da Mostra Panorama, às 18h15, todos no Cine-Tenda.

Lá também serão exibidos os longas “Fernando”, que integra a programação Olhos Livres, às 20h; e o inédito “Bandeira de Retalhos”, de Sérgio Ricardo, às 22h – um dos momentos mais esperados da Mostra. O multiartista participa, ainda, da roda de conversa e do show em comemoração aos seus 85 anos, no Sesc Cine-Lounge, a partir das 23h30.

No Cine BNDES, na Praça, será exibido “Todos os Paulos do mundo”, a partir das 21h. Haverá também debate com a presença dos diretores e convidados após a sessão.

TODA A PROGRAMAÇÃO É OFERECIDA GRATUITAMENTE AO PÚBLICO.